ARQUIVO 23/05/2016 Oportunidades Milena Lidor, consultora da Franquear Consultoria Crédito: Divulgação/Franquear

Crédito: Divulgação/Franquear

Trabalhar no que dá prazer pode deixar de ser um sonho e se transformar em realidade. A diretora da Franquear Consultoria Milena Lidor dá dicas de como fazer do hobby um negócio. De acordo com a especialista a empreitada pode ser um sucesso absoluto. “O empreendedor é apaixonado por aquele produto ou serviço, mas também pode ser a sua derrota. Geralmente as pessoas que pensam que essa transformação se dá porque o produto ou serviço é muito elogiado por amigos, família e amigos dos amigos. Esse já é um forte sinalizador da aceitação deste produto pelo público e claro um dos primeiros que deve se levar em consideração”, orienta. No entanto, se você tem um hobby e pensa em transformá-lo em um negócio apenas por paixão, pode ser um risco muito grande. É preciso muito estudo e planejamento. Confira as sete dicas de Milena sobre a melhor forma de fazer essa transação.

1 – Busque sinais de aceitação do produto:
Realize pesquisas com amigos e familiares, mas peça que eles sejam bem críticos sobre os principais pontos que você precisará analisar. O ideal é estender essa pesquisa para outras pessoas, escolha uma região da sua cidade que você entende que tem o perfil para o público alvo e ofereça para que as pessoas conheçam seu produto e/ou serviço e peça que eles também preencham essa relação apontando o que gostaram e principalmente o que não gostaram. Tão importante quanto analisar o que dá certo é analisar o que não está dando certo, porque desta forma, temos oportunidade de agir e corrigir para que a melhoria tenha impacto com o público consumidor.

2 –  Pesquisa de consciência:
Estou mesmo preparado para deixar meu emprego e me dedicar ao meu próprio negócio? Por mais que você goste do que faz como hobby, precisa levar em consideração que o que você faz esporadicamente em alguns momentos da semana, uma vez abrindo seu negócio, vai precisar produzir o produto e/ou serviço, todos os dias da sua vida, a todo o momento. Isso realmente é o que você quer?

3 – Planejamento, Planejamento e Planejamento:
Faça o planejamento de tudo. Comece pelo planejamento financeiro, ou seja, quanto deste produto e/ou serviço eu preciso vender para que eu consiga o mesmo salário que eu tenho no meu emprego? Relacione todos os custos que você terá, bem como o investimento necessário para toda a estrutura, equipamento, capital de giro, etc. Uma forma mais segura é iniciar o negócio em modelo home, abrindo a empresa como MEI (analisar as possibilidades de CNAE disponíveis), para que não tenha as despesas de uma loja de imediato, porém como tudo em nossa vida, tem prós e contras Trabalhando de casa, o desafio de colocar esse produto no mercado para que todos conheçam e se interessem em comprar é maior do que ter uma vitrine, em um local de fluxo de pessoas, que só de passar por ali, já vão olhar e conhecer seu produto. O desafio de começar a empresa em casa gera uma série de economias financeiras, porém precisa também que você cuide da disciplina de não deixar-se influenciar por todas as distrações que seu lar gerará. Além do financeiro, faça uma projeção de como deverá ser o crescimento de vendas do seu negócio, sempre com base na pesquisa inicial que você fez. Nesta pesquisa é importante que hajam perguntas como: quantas vezes na semana você compraria este produto (para o caso de alimentação), a frequência de compra do consumidor, fará com que você consiga fazer um provisionamento de vendas mensal, entre outras informações.

4 – Estude o mercado:
Onde está seu público? O ideal é trabalhar com um determinado nicho ou com todo o segmento? Existe concorrência local? Quais são seus diferenciais? Qual o valor de seus produtos, qualidade? Eles tem uma forma personalizada de atendimento? Enfim, inúmeras são as informações que precisam ser analisadas sobre o mercado que pretende investir.

5 – Preparado para gerir pessoas e o negocio?
Uma coisa é você trabalhar com seu hobby sozinho, outra bem diferente é gerir um negócio, que mesmo com uma equipe enxuta no início, vai exigir de você uma dedicação grande de administração da empresa e também de gestão de pessoas. Você precisa se preparar para isso, a liderança vai ser fator preponderante para o sucesso do seu negócio. Algumas dessas características, caso você não esteja disposto a se dedicar, pode ser dividido com um sócio que tenha essas características, ou seja, um complemento das habilidades um do outro.

6 – É preciso vender seu produto:
Quando temos um hobby e pessoas ao nosso redor que se identificam e gostam do que fazemos é fácil fazer com que essas pessoas comprem nossos produtos e/ou serviços, mas quando isso se transforma em um negócio, um grande desafio é vender esse produto/serviço. Para isso tenha um completo planejamento de vendas, que considere uma campanha específica de marketing e ainda que inclua o investimento em redes sociais, site e mídias específicas off line.

7 – Ouça a experiência:
Caso tenha oportunidade, ouça a opinião de empreendedores que você conhece e que tenham tido sucesso em suas empresas. Outras análises ainda são necessárias para elenco essas como inicialmente as principais. Existe uma ferramenta muito prática e que pode te ajudar bastante a enxergar e organizar todas essas informações, chama-se CANVAS, é um método muito atual de criar planos de negócios e que poderá auxiliar em toda essa análise. Vá em frente, dedique-se à essa transformação, uma vez entendendo que é iniciar um negócio que você quer, determine uma quantidade de horas do seu dia para pensar nisso, crie a disciplina e logo logo, estarei visitando sua empresa e conhecendo seu produto.

Gostou das dicas? Agora mãos a obra!!!