Por Martha Imenes/O DIA

Uma brincadeira de criança ficou séria e ganhou o mundo dos negócios e hoje é uma poderosa ferramenta para a resolução de problemas empresariais: o Lego. Quem não se lembra das peças que montam cenários e controem cidades e tudo mais? Pois bem, de uns tempos pra cá, a ferramenta tem sido usada por grandes empresas em todo o mundo para simular e antecipar situações e com isso buscar soluções, evitar problemas e garantir melhor rendimento.

Para conhecer um pouco mais sobre essa brincadeira séria, neste sábado, Mônica Assis, uma das maiores especialistas brasileiras no assunto, da ConverGente, fala sobre o LSP no Foco ADM, jornada de empreendorismo que começa às 13h e terá quatro horas de duração, na Cobertura CoWorking, que fica na Rua da Alfândega 108, no Centro. Para mais informações é só ligar para 3176-0071.

E como funciona na prática? O método está baseado em quatro etapas que irão conduzir os participantes a uma jornada para resolução do problema.

1ª Etapa

A primeira etapa é a fase de fazer a pergunta. Nesse momento apresenta-se o problema, o desafio não pode ter soluções óbvias ou mesmo resposta correta. Esse é o momento em que se coloca sobre a mesa a pergunta-problema. Para que a jornada aconteça de maneira orgânica, a descrição do desafio precisa estar clara e ao mesmo tempo concisa.

2ª Etapa

A segunda etapa consiste em construir um modelo. Essa é a fase onde os participantes começam a se conectar consigo mesmo, vasculham na memória todo conhecimento e iniciam as conexões neurais para trazer soluções ao problema. A equipe faz isso por meio da construção de um modelo, usando as peças do Lego. Essa é a fase de manipular com as mãos e ativar a memória. O objetivo é construir uma história carregada de valores e significados. É durante esse processo que se constrói um ambiente de conhecimento.

3ª Etapa

Na sequência, é hora de compartilhar. Durante a terceira etapa, as histórias são contadas para todo o grupo. No processo, quando compartilham as histórias em voz alta, os próprios participantes começam a ter outras ideias e incrementam a história no processo de narração. Por outro lado, as interações e questionamentos, também enriquecem o discurso e acrescentam novas ideias.

4ª Etapa

Para finalizar, a quarta etapa é uma reflexão sobre a narrativa anterior. Como forma de internalizar e memorizar estimula-se a reflexão sobre o que foi ouvido, falado e compartilhado. A jornada conduzida pelo método busca direcionar os participantes a refletirem sobre a pergunta-problema a partir de um foco voltado para a resolução. Dessa forma, a dificuldade é vista como um desafio e não como problema. Para que o LSP funcione é indispensável que os participantes estejam confortáveis com as quatro etapas básicas.