Evento no Recreio orienta quem quer estudar nos EUA

Evento no Recreio orienta quem quer estudar nos EUA

POR  MARTHA IMENES

Alunos interessados em estudar nos Estados Unidos podem aproveitar a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a educação na Terra do Tio Sam. E para dar uma mãozinha a quem não sabe por onde começar, na próxima sexta-feira a Recreio Christian School, escola bilingue localizada no Recreio dos Bandeirantes, promove a 1ª Feira de Universidades Americanas de 2019.

Com entrada franca, o evento é aberto ao público geral e vai ocorrer das 10h30 às 11h50, e contará com a presença de representantes oficiais de sete universidades americanas: Full Sail University, Hofstra University, Marymount California University, The University of Kansas, The University of Oklahoma e University of Connecticut University of Houston.

O objetivo, segundo os organizadores, é mostrar aos interessados como funcionam os processos de entrevista e admissão para que os alunos comecem a se preparar para enfrentar o desafio de entrar na Universidade desejada. Os participantes também conhecerão quais os programas de ensino oferecidos por cada instituição e compreenderão como é a vida de um estudante brasileiro no exterior.

Para Gabriel Frozi, fundador da Recreio Christian School, este contato inicial será primordial para uma possível inscrição. “Queremos que os jovens saibam qual o melhor caminho para chegar ao seu objetivo de estudar em uma instituição de ensino superior americana. Estabelecer conexões diretas com estes representantes é de extrema importância para o futuro”, diz.

O empresário ressalta que a feira é destinada a todos que desejam garantir um diploma em solo americano: “Não vamos restringir esta oportunidade única aos nossos alunos. Todos merecem uma chance de correr atrás de seus sonhos, por isso estamos intermediando este contato com as universidades americanas. Pode parecer algo simples, mas com certeza abrirá portas mais pra frente”, completa.

LEVANTAMENTO

Nos últimos meses, o índice de brasileiros que saíram do país para estudar em instituições do exterior subiu 10,7%.  O número de estudantes brasileiros nos EUA também aumentou. Ao todo foram  14.620  alunos que deram ao Brasil a décima posição no ranking mundial  do país que mais envia estudantes para as universidades americanas, perdendo apenas para China, Índia, Coréia do Sul, Arábia Saudita, Canadá, Vietnã, Taiwan, Japão e México.

A indústria de graduação no exterior foi a mais aquecida. 50,3% dos 14.620 estudantes nos EUA buscaram cursos universitários e pelo quinto ano consecutivo, Matemática e Ciência da Computação foram os campos de estudo com um rápido crescimento. Já a procura de pós graduação também apresentou aumento de    28,8% enquanto os intensivos de ingês cresceu apenas 8,9% . Os cinco estados anfitriões foram Flórida, Califórnia, Nova York, Massachusetts e Texas.

Esse cenário é o reflexo da busca de experiência internacional, melhores oportunidades de trabalho que estão fazendo os alunos das escolas particulares começarem  a se preparar já no ensino fundamental para conquistar uma vaga em uma instituição no exterior. A expectativa é que, em 2019, ao menos 400 mil pessoas viajem para fora em busca de conhecimento e novas oportunidades.

Recreio Christian School é um dos principais colégios do Rio a oferecer ensino bilingue, capacitando seus alunos para aprovações tanto em faculdades brasileiras quanto internacionais. Seguindo o modelo americano, a instituição oferece atividades extra-curriculares para complementar a grade escolar habitual. Também promove cursos de alfabetização em inglês para professores da rede pública, para que cada vez mais pessoas estejam preparadas para estudar fora, independente de sua classe social.

SERVIÇO

1ª Feira de Universidades Americanas de 2019
Local: 
Recreio Christian School (Avenida Genaro de Carvalho,1500, Recreio Dos Bandeirantes, Rio De Janeiro)
Data: 15/03, das 10h30 às 11h50
Informações: (21) 3420-3535 / (21) 99555-7646 ou no site http://www.recreiochristianschool.com/.
Entrada Franca

 

Do Rio para NY: Cufa fará programação especial no Bronx

Do Rio para NY: Cufa fará programação especial no Bronx

Por Viviane Faver
Especial de NY

NOVA YORK (EUA) – A Central Única das Favelas (Cufa) promete agitar os meses mais quentes em Nova York, nos Estados Unidos, com programas voltados à inclusão social e aprendizado de jovens e adultos por meio das artes. Em abril, início da primavera, a Cufa Bronx vai realizar o Saturday Program, programa de sábado em português, um pool de atividades ministradas por professores voluntários que ensinam capoeira, dança, artes, grafite, música e esportes. As atividades são resultado da parceria entre a Cufa de NY, situada no Bronx, e a Organização Não-Governamental (ONG) Wham, que fica no Harlem, ambas em Nova York.
A exemplo do programa realizado em 2017, o Saturday Program, que esse ano leva o nome Ode to the Bronx (Tributo ao Bronx), será realizado no Centro Cultural Andrew Freedman Home, que fica na 1125 Grand Concourse, Bronx -NY. O programa, que começa em abril, é destinado a jovens e adultos. E, segundo o diretor da Cufa de Nova York Luís “Eli Efi” da Silva, o programa não é somente para crianças, mas sim para toda família, com atividades que vão desde capoeira, dança, artes, grafite e música.
“A nossa ideia sempre foi que pais e mães participassem das atividades com os filhos. Muitas vezes o problema familiar não é só com o jovem, ele abrange toda família. Por isso é importante essa integração”, avalia Eli Efi. “Em outras ocasiões percebemos que alguns jovens, por serem reprimidos dentro de casa, apresentam dificuldade de se expressar e isso cria uma distância muito grande entre pais e filhos”, acrescenta.
Todos os participantes ganham certificado na conclusão dos cursos. O projeto que vai para sua terceira edição, começou em 2017 com 85 participantes. A maioria africanos e latinos, moradores do Bronx e arredores. Vale lembrar que a Cufa está em NY desde 2015.

CAMPEONATO DE FUTEBOL
O segundo projeto agendado para este verão, que em Nova York começa em junho, é o campeonato infantil de futebol. Em um primeiro momento a disputa será no jardim do centro cultural, onde funciona o escritório da Cufa.
“Pretendo no futuro fazer intercâmbio com crianças daqui e do Brasil. E realizar a Taça das Favelas – que é um projeto que funciona na Cufa do Brasil – aqui com a final no Yankee Stadium”, sonha o diretor da Cufa NY, que quando chegou nos EUA foi professor de futebol numa escola pública e seu time ganhou três vezes.
O principal desafio na Cufa de NY é conseguir fazer com que esses projetos de verão se tornem permanentes. Para isso eles ainda correm atrás de suporte de alguma fundação ou uma resposta de um sponsor em potencial.
Segundo o diretor da Cufa, a ONG não recebe ajuda de custo do Brasil e todos os programas no momento são feitos por voluntários e doações. As famílias participantes trazem comidas feitas por elas como pagamento das aulas.
O sonho de Luís “Eli Efi” da Silva é um dia poder oferecer um programa de música para crianças com aulas de violino, piano e produção musical, exigindo em troca, que elas tenham notas boas na escola. “O evento é uma oportunidade para a Cufa exportar e democratizar o acesso internacional à sua tecnologia social única no mundo. Além disso, será possível importar novas idéias e gerar debates sobre o papel da cultura popular, do esporte comunitário, do empreendedorismo social e do empoderamento de moradores de favelas e periferias como armas poderosas contra o preconceito social e a discriminação racial”, diz Luís.

ARTIST MOVEMENT
Eli Efi foi responsável por iniciar, em 2017, o “Artist Movement”, movimento de inclusão social onde os participantes têm aula de artes para crianças, cursos de DJ’s e “open mic”, aquela batalha onde rappers mostram suas rimas, para futuros MC’s.
Ele diz que o programa do ano passado teve um gosto especial: crianças vindas do Foster Care (entidade que cuida de crianças afastadas dos pais, na maioria presos pela imigração) participaram do Artist Movement. “Algumas crianças já estavam meses sem ver os pais. Por isso, as elas criaram um apego com o programa e quando falamos que íamos terminar elas choraram tanto que decidimos estender o programa até cinco meses. O término foi bem difícil e me tocou muito”, finaliza.
Antes da Cufa, Luís, que já tem cinco álbuns de hip hop lançados no Brasil com grupo DMN, já fazia trabalho social dando aula de percussão e futebol para crianças. Com o convite da Cufa Brasil viu a oportunidade de fazer o mesmo em Nova York.
A Cufa está presente em 27 países e hoje se consolida como uma das maiores organizações de jovens, oriundos das favelas no mundo, mobilizando de forma direta cerca de 80 mil pessoas por ano. Entre eles crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos.

SERVIÇO
CUFA BRONX NY
LOCAL: Andrew Freedman Home
1125 Grand Concourse, Bronx, NY 10452
Contato: cufabronxnyc@gmail.com

Edição de Martha Imenes

Maple Bear: Franquia de educação projeta crescimento para 2019

Maple Bear: Franquia de educação projeta crescimento para 2019

A expansão de negócios focando em cidades menores tem se mostrado uma estratégia atraente para as redes de franquias e segue como uma forte tendência para os próximos anos, segundo recente levantamento realizado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF). Entre os motivos que despertam o interesse nessas regiões são as possibilidades de oferecer baixos custos de locação e manutenção das unidades, menor concorrência e proximidade com o público final. Quando o assunto é educação bilíngue – muito mais presente em grandes centros urbanos -, as redes de escolas particulares com métodos de ensino modernos e inovadores ganham destaque.

A Maple Bear, representante oficial do ensino canadense no Brasil e com 25 mil alunos, planeja elevar em 30% o número de matrículas em 2019, principalmente em cidades do interior, com população entre 50 e 600 mil habitantes, mas com grande potencial de crescimento. “Atualmente, temos 110 unidades e até o final do ano, devemos inaugurar outras 37 escolas, tendo como objetivo atender famílias que buscam o ensino bilíngue e de qualidade, sem precisar se deslocar para cidades maiores” explica o CEO da rede, Arno Krug. Com os custos iniciais não tão elevados, as mensalidades também são favorecidas pela redução dos valores, girando em torno de R$ 2,2 mil, em média, contra R$ 2,8 mil das capitais.

Além disso, o investimento inicial menor impulsiona o processo de expansão, motivo pelo qual cidades como Pindamonhangaba, Sertãozinho e Hortolândia estão na mira da rede. E, ainda que a contratação de professores bilíngues seja uma exigência, já que a educação infantil é toda realizada no segundo idioma e, aos longo dos demais anos haja uma mescla entre conteúdos nas duas línguas, o docente é capacitado e avaliado por educadores canadenses que vêm ao Brasil para acompanhar e verificar se a metodologia está sendo corretamente aplicada. “Quando um professor é contratado, ele passa por um processo de adaptação ao nosso método de ensino. Por dois anos, esse profissional trabalha como assistente e, após esse período, é avaliado por educadores do Canadá”, completa.

Maple Bear Canadian School

Com origem em North Vancouver, British Columbia, Canadá, e com mais de 300 escolas em 16 países, atendendo mais de 35.000 crianças e adolescentes, a Maple Bear Canadian School é uma das líderes mundiais em educação bilíngue, oferecendo ensino Infantil, Fundamental e Médio de alta qualidade, fundamentado nas melhores práticas que posicionam a educação canadense entre as melhores do mundo. As escolas Maple Bear proporcionam um sistema de aprendizagem centrado no aluno, em um ambiente seguro e estimulante, despertando a paixão por aprender ao longo de toda a vida. No Brasil, a Maple Bear Canadian School está presente em todas as regiões do país com mais de 100 escolas. Para mais informações sobre a Maple Bear, acesse www.maplebear.com.br

Feira virtual de empregos e estágios na Estácio

Os universitários e recém formados que estão em busca de uma chance no mercado de trabalho têm até o dia 9 para conhecer as oportunidades oferecidas na 1ª Feira Virtual de Estágios e Empregos da Universidade Estácio de Sá, que é destinada a alunos e egressos da universidade e também a estudantes ou formados de todo o Brasil.

Para participar da Feira Virtual, os interessados deverão fazer seu pré-cadastro no link: www.estacio.br/feiravirtual<http://www.estacio.br/feiravirtual>. Durante os dias de permanência da feira, que estará disponível 24 horas por dia, será possível conferir carreiras em evidência e candidatar-se em vagas que serão oferecidas por grandes empresas, como Stefanini, Amil, KPMG, Manpower, CIEE, STB, Cia de Talentos, dentre outras, que já aderiram à iniciativa. Confira a programação completa da  feira: https://verosolutions.6connex.com/event/feiravirtual/estacio/login

Palestras também serão oferecidas para que os estudantes fiquem por dentro das novidades que estão acontecendo no mercado. Entre os temas a serem abordados estão Comportamentos, Empreendedorismo, Inovação, Crowdfunding, Dicas de currículo campeão, Como participar de entrevistas e muito mais. Vários conteúdos com dicas sobre o mercado serão disponibilizados. A programação pode ser conferida no site da Feira e as inscrições já estão disponíveis pelo endereço www.estacio.br/feiravirtual<http://www.estacio.br/feiravirtual>.

“Os candidatos que buscam uma oportunidade poderão disponibilizar seus currículos para vagas abertas e para bancos de currículos. Além de organizar eventos para promover oportunidades de inserção dos alunos no mercado de trabalho, a Estácio investe em iniciativas que fomentam a empregabilidade ao fechar parcerias com diversas empresas para oferta de vagas de estágio e emprego para estudantes de todo o Brasil e em diversas áreas de atuação”, afirma Liliana Sebusiani, gerente de Empregabilidade da Estácio.