Aplicativos facilitam a vida de quem vai viajar no feriadão de 7 de setembro

Aplicativos facilitam a vida de quem vai viajar no feriadão de 7 de setembro

Por MARTHA IMENES

Feriadão da Independência chegando e planejar uma viagem curta parece tarefa fácil, mas não é. Comprar passagens, reservar hotéis, procurar por restaurantes, pontos turísticos e lojas com os melhores preços demandam tempo, dinheiro e muita paciência. O que já dificulta um bocado essa busca. Para dar uma, literalmente, mãozinha aplicativos fazem a busca completa desses serviços. E o melhor: tudo isso na palma da mão, basta o smartphone ou o tablet terem o sistema operacional Android ou iOS.
Pesquisa da Trip Barometer mostra que 59% dos turistas brasileiros estão conectados a apps para planejar e/ou reservar uma viagem. Especialistas indicam um kit básico de aplicativos para que turistas encontrem diversos serviços, como acomodação e alimentação a preços mais acessíveis, e também consigam ganhar uma grana extra durante o passeio – por meio do compartilhamento de bagagens. Atualmente estão disponíveis os apps: Airbnb, AroundMe, Bla Bla Car, Grabr, Moovit e Vexpenses.

Airbnb
A plataforma de busca e locação de imóveis permite que proprietários disponibilizam suas residências ou quartos a turistas que buscam acomodações. O Airbnb conta com mais de 500 mil anúncios e está presente em mais de 35.000 cidades de 192 países diferentes. Essa é a opção perfeita para quem quer fugir dos hotéis tradicionais e economizar uma graninha.

AroundMe
Para quem vai conhecer um lugar novo e deseja saber tudo o que o destino oferece o app AroundMe é indispensável. O aplicativo permite que você encontre estabelecimentos próximos em poucos cliques. É possível encontrar de desde caixas eletrônicos, bares, restaurantes, farmácias, cinema, teatros entre outros.

Bla Bla Car
Para quem precisa se locomover sem gastar muito o Bla Bla Car é uma boa opção. O app de caronas de longa distância conecta quem procura por uma viagem com quem tem espaço livre no carro, tornando a viagem mais barata e acessível.

Grabr
Para quem vai viajar e deseja ganhar um dinheiro extra durante os dias fora do país, uma dica é utilizar o Grabr – (http://grabr.io/pt/) aplicativo de compartilhamento de bagagem. A plataforma permite que viajantes comprem itens no exterior por meio de um programa de recompensas, ou seja, ao trazer produtos dentro do espaço livre de suas bagagens, o usuário recebe uma bonificação, conseguindo uma grana extra para as despesas da viagem – que é combinado entre o viajante e a pessoa que solicitou o produto. Presente em 120 países, incluindo o Brasil, o Grabr possui ao redor do mundo mais de 350 mil usuários entre compradores e viajantes.

Moovit
Ideal para quem quer aproveitar todos os pontos turísticos sem gastar muito. O Moovit permite planejar viagens de transporte público. O app organiza rotas de ônibus, trens e metrô, além de mostrar a tarifa, o tempo de viagem e o horário de cada linha.

Vexpenses
Se sua viagem for a trabalho, a tecnologia também ajuda a economizar tempo e dinheiro e também organizar a gestão das finanças. O Vexpenses, por exemplo, é um aplicativo que facilita a gestão de reembolsos de viagens e despesas corporativas, já que possibilita o cadastro de gastos e inclusão em relatórios pelo próprio celular. Com a tecnologia, é possível fazer análises, limitar despesas, visualizar de forma rápida o gasto médio dos funcionários e controlar o cartão corporativo. Outra vantagem é aumentar a produtividade – com o uso do app, é possível reduzir em 88% o tempo gasto pela empresa com estas tarefas. O app tem disponibilidade para Android e iOS e pode ser baixado gratuitamente.

Churrascarias brasileiras no maior evento de gastronomia do verão de NY

Churrascarias brasileiras no maior evento de gastronomia do verão de NY

Por Viviane Faver
Especial de NY

O Restaurante week, maior evento de gastronomia do verão de Nova York, recebe duas das mais famosas churrascarias brasileiras: a Plataforma e a Fogo de Chão, completando o cardápio do evento, que tem 380 participantes distribuídos em 42 pontos diferentes na cidade. O preço para participar, e saborear as delícias do festival gastronômico, está bem em conta. Os valores vão de US$ 29, que vale três almoços, a US$ 42, sendo três jantares com sobremesa. Não perca a oportunidade, o Restaurante Week acaba nesta sexta-feira. As reservas podem ser feitas pelo nycgo.com/restaurantweek.
Conhecida por sua pluralidade, a cidade de NY reproduz no evento a sua principal caracteríritca: ser capital do  undo. Segundo o vice-presidente da Global Communications NYC & Company, Chris Heywood, aproximadamente 61% dos restaurantes no evento oferecem comida estrangeira. “Visitantes e moradores locais se beneficiam da diversidade na famosa cena gastronômica de Nova York. E nesta 26ª edição do evento temos o prazer de ter duas respeitadas e deliciosas churrascarias brasileiras como parte da lista”, diz.
Heywood conta que os funcionários da NYC & Company são entusiastas da Plataforma Brazilian Steakhouse e da Fogo de Chão, graças as suas abundantes e deliciosas carnes. As duas churrascarias têm restaurantes fixos na cidade e mantém uma clientela dividida entre brasileiros moradores de Manhattan, americanos locais e turistas. Porém, declaram que participar do evento é um bom negócio para aumentar clientela e a visibilidade.
A churrascaria Plataforma, desde 1996 nos EUA, participa pela terceira vez do evento. Segundo Alberico Campana, um dos sócios da Plataforma, participar do evento gastronômico é oferecer comida e serviços de qualidade e atrair novos clientes. “Nossa meta sempre foi oferecer mais do que o cliente espera, como o rodízio. A diferença entre a Plataforma e os demais restaurantes da promoção é que a maioria serve um cardápio limitado usando ingredientes mais baratos para assim atingir um lucro maior. O que não é o nosso caso. Nossos cortes mais nobres como a picanha e a alcatra fazem parte do cardápio. E mantivemos os pratos quentes, o buffet de comida japonesa e o coquetel de camarão”, diz. Alberico avalia que 80% dos clientes que participam do evento voltam à churrascaria. “Essa sempre será nossa expectativa”, afirma e acrescenta: “Iremos participar novamente no inverno (janeiro de 2019)”.
Já a Fogo de Chão, que estreou seu restaurante nos EUA em dezembro de 2013, está com foco de expandir na América pelo menos 10% por ano. De acordo com gerente de Marketing da empresa nos EUA, Josh Wood, a Restaurant Week oferece uma oportunidade única para os clientes conhecerem  os restaurantes mais procurados. “Durante anos, o Fogo percebeu que esse evento é uma ótima maneira para atrair novos clientes, fazê-los conhecer a marca por um preço acessível”, avalia.

NY se prepara para o Brasil Summerfest

NY se prepara para o Brasil Summerfest

Por Viviane Faver
De Nova York

Evento brasileiro, o Brasil Summerfest http://brasilsummerfest.com/, vai fazer um link entre Nova York, nos Estados Unidos, e São Paulo, de domingo até o dia 12 de agosto. As duas cidades terão eventos de música e cinema em diferentes pontos. Entre os artistas que participarão do Brasil Summerfest estão Chico Buarque, Seu Jorge, Negro Leo, Roberta Sá, Nação Beat entre outros.
Em entrevista exclusiva, a relações públicas do evento, Aliza Rabinoff, conta um pouco da trajetória do Brasil Summerfest, lançado em 2011, visava criar uma plataforma para a música brasileira ser exibida para um público amplo de Nova York. “Eu trabalhei com música e artistas brasileiros por vários anos antes do lançamento do evento e fiquei impressionada com todos os novos talentos e música contemporânea que estavam saindo do Brasil. E daí que veio a inspiração”, conta Aliza.
“Desde então, o festival cresceu exponencialmente e este ano estamos fazendo nossa maior edição até hoje. Embora a música ainda seja o foco principal, o festival cresceu para abranger outros aspectos do estilo de vida e cultura brasileiros”, acrescenta.

VIVIANE – Como foi o processo de parceria com fornecedores e profissionais de marketing brasileiros para realizar o projeto?
ALIZA – Trabalhamos com empresas locais e fornecedores de alimentos para nossa feira de rua. Pequenas empresas, alimentos, produtos, bebidas combinadas com música e entretenimento são a ideia por trás da feira. A feira foi apresentada no ano passado e tivemos mais de 3 mil pessoas presentes. Foi um grande sucesso. É uma ótima iniciativa porque nos conectamos com empresas locais e fornecemos uma plataforma para exibir seus produtos enquanto entretemos muitos participantes. Para os nossos programas musicais e culturais, fazemos parcerias com instituições artísticas e locais de alto perfil. Eles incluem o SummerStage da City Parks Foundation, o Lincoln Center, o Blue Note, para citar alguns.

VIVIANE – Qual foi o aumento de 2017 em relação a 2016? E qual é o crescimento esperado para 2018 em relação ao número de público e consumidores e retorno?
ALIZA – O ano de 2017 foi incrível! Foi maior do que no ano anterior e o festival continua crescendo ano a ano em termos de conscientização, atendimento e número de programas que apresentamos. 2018 será ainda maior que no ano passado. Temos duas semanas completas de programação, incluindo mais de 15 apresentações musicais, filmes, feira de rua, workshops, etc. É muito emocionante! Em 2017, tivemos cerca de 12.000 participantes, enquanto este ano esperamos cerca de 16 mil pessoas.

VIVIANE – Como a situação política no Brasil impactou nas empresas para investir mais nos EUA?
ALIZA – A situação política e econômica tornou as coisas piores em termos de investimento, especialmente para artes e cultura. Uma crise política e econômica nunca ajuda.

VIVIANE – Esse fator (economia e política no Brasil ) afetou o evento?
ALIZA – Até certo ponto. O mais difícil é a desvalorização do real, o que tornou muito caro para artistas e participantes virem para Nova York. É raro recebermos apoio financeiro do governo ou de empresas que só operam no Brasil, por isso aprendemos a não depender disso. O festival depende, em última instância, da disposição e determinação de nossos funcionários, parceiros e artistas.

VIVIANE – Você poderia nos falar sobre a expansão para Philly e São Paulo?
ALIZA – Sim, este é um ano emocionante por causa da nossa expansão para duas cidades. Esse foi o objetivo do Brasil Summerfest de muito tempo atrás. Queremos levar o festival em turnê e atingir os principais mercados nos EUA, no Brasil, e com sorte, na Europa e no Japão.

VIVIANE – Quais são as expectativas com essa expansão?
ALIZA – Queremos continuar crescendo como uma marca, criando uma turnê viável para o festival e os artistas que estão aqui se apresentando. Muitos deles vêm aqui para realizar um show ou dois que não é financeiramente sustentável para eles. Mas se pudermos construir um festival de turismo que atinja cinco mercados, por exemplo, isso contribui para uma economia melhor, mais visibilidade e audiência.

Empresas brasileiras se destacam em evento de tecnologia em Nova York

Empresas brasileiras se destacam em evento de tecnologia em Nova York

Por Viviane Faver
De Nova York

Investimento em tecnologia voltada ao varejo ganha impulso no Brasil e é tema de evento em Nova York, nos Estados Unidos. A americana Zendesk – que desenvolve softwares para atendimento ao consumidor -, ‘ganhou’ 7 mil clientes no Brasil, entre eles empresas como Buscapé, Shopify, Hotel Urbano, Fossil, Airbnb, Uber, Méliuz, Udacity, Resultados Digitais entre outras. E a aposta de crescimento no Brasil é tanta que a Zendesk fez no último dia 17 um evento em Manhattan para debater os rumos do setor de tecnologia voltada à experiência de consumidores com vários segmentos de empresas, inclusive do varejo.
Para o vice-presidente de Marketing da empresa, Jeff Titterton, o Brasil passa por um período de transformação digital e que as empresas estão entendendo a importância de posicionar o cliente no centro do negócio. “A Zendesk vê nisso a oportunidade de auxiliar as organizações nesse processo de automatização e integração do atendimento ao cliente”, disse durante entrevista exclusiva após o Future of Customer Experience, realizado no Center 415. “Estamos em mais de 160 países e o Brasil está entre as nossas dez principais operações no mundo”, declarou o diretor de Marketing para a a América Latina, Marcio Arnecke.
Segundo Tatiana Piloto, da Zendesk Brasil, entre 2014 e 2016, a operação local cresceu cerca de 40%. “Além disso, aumentamos em sete vezes nosso número de clientes nos últimos cinco anos. Entre 2016 e 2017, tivemos também um crescimento de 40% da operação brasileira. Foi o recorde da empresa em qualquer país do mundo naquele período”, comemora. Ela complementa dizendo que em 2017 aumentou em 200% o número de funcionários no Brasil para atender às demandas do mercado e potencializar o processo de expansão no País.

CLIENTES

A Méliuz, startup brasileira que oferece cupons de descontos de lojas online, conta que primeiro avaliou a relação custo-benefício antes de contratar a Zendesk. Segundo Serena Fernandes, coordenadora de atendimento ao cliente, o investimento inicial na época custou US$ 49 por licença. “Tínhamos três atendentes, então aproximadamente totalizou US$147”, contabiliza.
Ela conta que a empresa hoje consegue dar uma resposta às demandas em no máximo 5 minutos. “Os formulários da Zendesk garantem mais agilidade e com isso há aumento na produtividade”, explica. “O nosso tempo de primeira resposta diminuiu 78% e o tempo de solução, 86%. Além disso, 48% dos nossos tíquetes são resolvidos em apenas um contato”, diz Serena.
Outra cliente da Zendesk, Udacity – empresa com dois anos de atuação no Brasil, plataforma online que oferece cursos chamados de nanodegree nas áreas de ciência de dados, inteligência artificial, negócios e programação, utiliza os softwares da Zendesk como ferramenta de suporte aos estudantes e para responder às demandas enviadas pela central de atendimento.
Renata Zacarias, da Udacity Brasil, conta que resolveu executar o piloto de vendas durante a Black Friday no início de novembro de 2017 e que tinha cerca de 20 dias para realizar toda a implementação do sistema, desde a contratação e treinamento dos representantes de vendas até a decisão de todos os fluxos operacionais e ferramentas.
“Nosso investimento em média para a campanha da Black Friday foi de R$ 200 mil. Esperávamos atrair mil novos alunos durante a campanha e conseguimos 2 mil. Nossa equipe do projeto-piloto de vendas gerou cerca de 20% das vendas da Black Friday e a implementação do chat online e ligações foi fundamental para esse sucesso”, relata.
Ela acrescenta que desde a implementação das ferramentas de chat e talk, conseguiu atrair mais de 2 mil alunos através desses canais. Já a equipe de vendas, que utiliza os produtos da Zendesk, contribui por cerca de 30% da aquisição de novos alunos.
Já a empresa tecnologia Resultados Digitais, que desenvolve o software RD Station Marketing para gestão de pequenas e médias empresas, contratou a Zendesk em 2014. “Decidimos pela Zendesk por ser referência entre os operadores de mercado, com isso eles geram um ecossistema de troca e benchmark que valorizamos muito na RD”, segundo Rafaela Blacutt, líder de suporte da empresa.
“Desde que implementamos as soluções da Zendesk a equipe de suporte triplicou de tamanho, além de termos reduzido em mais um dia o tempo de resolução de chamados e aumentamos quase 10% nossa taxa de satisfação”, conta Rafaela.