Moda brasileira invade Miami

Moda brasileira invade Miami

Por Viviane Faver
Especial de Miami

A moda brasileira chegou para ficar, e brilhar, em Miami, nos Estados Unidos. Antecipando uma das semanas de arte mais movimentadas do mundo, a Art Basel, no final do mês será aberta a segunda edição do Brazil Fashion Forum. O evento, criado pela empresária brasileira em 2017, Flávia Marchesini, foi vencedor do Prêmio Press Award 2018 da Focus Brasil e ganhou o título de melhor evento cultural em Miami.
Em dois dias são esperadas mais de 1,5 mil pessoas, inclusive convidados VIPs. Lojas com o conceito “see now buy now” (veja agora, compre agora) serão montadas no salão principal, que tem 4 mil metros quadrados. Cada dia terá uma sequência de três estilistas.
“É uma grande responsabilidade promover os talentos brasileiros e promover uma experiência inovadora para outras pessoas que seguem nossa arte e cultura, reforçando a cada ano a presença de marcas brasileiras nos Estados Unidos”, avalia Flávia.
De acordo com Flávia, o Brazil Fashion Forum consolida uma novo conceito no mercado da moda e contribui para que Miami seja uma parada obrigatória no calendário anual de todos os fashionistas do mundo.
A empresária é a primeira brasileira a fechar parceria com o recém inaugurado Instituto Marangoni Miami. O evento de moda conta com o apoio do Consulado Geral do Brasil em Miami, que fará parte da programação com a palestra “Journey Through Brazilian Experiences”, promovido e desenvolvido pelo embaixador Adalnio Senna Ganem.
Para o executivo da Brasil Society, Christiano Marchesini, desenvolver um projeto desta magnitude nos EUA e levar várias marcas, designers e celebridades ao país não é uma tarefa fácil. “Criar cada edição requer muito esforço, dedicação e acima de tudo paixão no que está sendo feito. O maior desafio é conquistar a credibilidade e o apoio financeiro de importantes marcas. Mas, ao mesmo tempo, elevar a qualidade e as experiências no evento”, avalia Christiano.
Segundo ele, o público principal é, em sua maioria, de brasileiros que vivem e visitam Miami e que querem ter uma experiência sofisticada, além de se manterem atualizados sobre o que está acontecendo no Brasil e no mundo. “Estamos muito contentes também de ver a cada ano mais estrangeiros participando e curiosos sobre a nossa cultura e a beleza brasileira”, avalia.
Para o futuro, o executivo pretende incentivar a troca de experiências culturais incentivando designers da América Latina com a presença de um convidado especial. “Este ano por exemplo já estamos trazendo Carolina K representando a Argentina”, conta.
O Instituto Marangoni Miami tem um papel importante no evento por ser o parceiro educacional exclusivo do Brazil Fashion Forum (BFF). Com isso em mente, o IMM junto ao BFF estão oferecendo duas bolsas de estudo que serão sorteadas a partir de uma competição promovida pelo evento para talentos brasileiros.

DESTAQUES
A embaixadora desta edição será a top model Isabelli Fontana. Os designers confirmados na versão de 2018 são Reinaldo Lourenço, Lilly Sarti, GIG Couture, Lenny Niemeyer, Sinesia Karol e Patricia Motta, que vão mostrar suas coleções na passarela. Lenny Niemeyer, Jack Vartanian, Sinesia Karol, Patricia Motta, Bossa Concept, Trousseau, Sol de Janeiro, Carolina K e outras marcas já confirmaram presença com lojas satélite no evento.

SERVIÇO
EVENTO: Brazil Fashion Forum
www.brazilfashionforum.com
DATA: 29 a 30 de Novembro
HORÁRIO: Das 15h às 23h30
LOCAL: Faena Forum – 3300-3398 Collins Ave, Miami Beach, FL 33140, EUA

Empresas brasileiras se destacam em evento de tecnologia em Nova York

Empresas brasileiras se destacam em evento de tecnologia em Nova York

Por Viviane Faver
De Nova York

Investimento em tecnologia voltada ao varejo ganha impulso no Brasil e é tema de evento em Nova York, nos Estados Unidos. A americana Zendesk – que desenvolve softwares para atendimento ao consumidor -, ‘ganhou’ 7 mil clientes no Brasil, entre eles empresas como Buscapé, Shopify, Hotel Urbano, Fossil, Airbnb, Uber, Méliuz, Udacity, Resultados Digitais entre outras. E a aposta de crescimento no Brasil é tanta que a Zendesk fez no último dia 17 um evento em Manhattan para debater os rumos do setor de tecnologia voltada à experiência de consumidores com vários segmentos de empresas, inclusive do varejo.
Para o vice-presidente de Marketing da empresa, Jeff Titterton, o Brasil passa por um período de transformação digital e que as empresas estão entendendo a importância de posicionar o cliente no centro do negócio. “A Zendesk vê nisso a oportunidade de auxiliar as organizações nesse processo de automatização e integração do atendimento ao cliente”, disse durante entrevista exclusiva após o Future of Customer Experience, realizado no Center 415. “Estamos em mais de 160 países e o Brasil está entre as nossas dez principais operações no mundo”, declarou o diretor de Marketing para a a América Latina, Marcio Arnecke.
Segundo Tatiana Piloto, da Zendesk Brasil, entre 2014 e 2016, a operação local cresceu cerca de 40%. “Além disso, aumentamos em sete vezes nosso número de clientes nos últimos cinco anos. Entre 2016 e 2017, tivemos também um crescimento de 40% da operação brasileira. Foi o recorde da empresa em qualquer país do mundo naquele período”, comemora. Ela complementa dizendo que em 2017 aumentou em 200% o número de funcionários no Brasil para atender às demandas do mercado e potencializar o processo de expansão no País.

CLIENTES

A Méliuz, startup brasileira que oferece cupons de descontos de lojas online, conta que primeiro avaliou a relação custo-benefício antes de contratar a Zendesk. Segundo Serena Fernandes, coordenadora de atendimento ao cliente, o investimento inicial na época custou US$ 49 por licença. “Tínhamos três atendentes, então aproximadamente totalizou US$147”, contabiliza.
Ela conta que a empresa hoje consegue dar uma resposta às demandas em no máximo 5 minutos. “Os formulários da Zendesk garantem mais agilidade e com isso há aumento na produtividade”, explica. “O nosso tempo de primeira resposta diminuiu 78% e o tempo de solução, 86%. Além disso, 48% dos nossos tíquetes são resolvidos em apenas um contato”, diz Serena.
Outra cliente da Zendesk, Udacity – empresa com dois anos de atuação no Brasil, plataforma online que oferece cursos chamados de nanodegree nas áreas de ciência de dados, inteligência artificial, negócios e programação, utiliza os softwares da Zendesk como ferramenta de suporte aos estudantes e para responder às demandas enviadas pela central de atendimento.
Renata Zacarias, da Udacity Brasil, conta que resolveu executar o piloto de vendas durante a Black Friday no início de novembro de 2017 e que tinha cerca de 20 dias para realizar toda a implementação do sistema, desde a contratação e treinamento dos representantes de vendas até a decisão de todos os fluxos operacionais e ferramentas.
“Nosso investimento em média para a campanha da Black Friday foi de R$ 200 mil. Esperávamos atrair mil novos alunos durante a campanha e conseguimos 2 mil. Nossa equipe do projeto-piloto de vendas gerou cerca de 20% das vendas da Black Friday e a implementação do chat online e ligações foi fundamental para esse sucesso”, relata.
Ela acrescenta que desde a implementação das ferramentas de chat e talk, conseguiu atrair mais de 2 mil alunos através desses canais. Já a equipe de vendas, que utiliza os produtos da Zendesk, contribui por cerca de 30% da aquisição de novos alunos.
Já a empresa tecnologia Resultados Digitais, que desenvolve o software RD Station Marketing para gestão de pequenas e médias empresas, contratou a Zendesk em 2014. “Decidimos pela Zendesk por ser referência entre os operadores de mercado, com isso eles geram um ecossistema de troca e benchmark que valorizamos muito na RD”, segundo Rafaela Blacutt, líder de suporte da empresa.
“Desde que implementamos as soluções da Zendesk a equipe de suporte triplicou de tamanho, além de termos reduzido em mais um dia o tempo de resolução de chamados e aumentamos quase 10% nossa taxa de satisfação”, conta Rafaela.