Black Friday: promoções atraem consumidores. Especialistas dão dicas de como não cair em furada

Black Friday: promoções atraem consumidores. Especialistas dão dicas de como não cair em furada

Por Martha Imenes
Com Edda Ribeiro/ODIA

A sexta-feira promete! Um dos eventos mais aguardados pelo varejo, a Black Friday, está às portas e consumidores estão ávidos para aproveitar os descontos, que vão de roupas, acessórios, eletroeletrônicos, cursos, serviços, como o DogHero, e até viagens. E na véspera da Black Friday, dia 22, o Supermercados Guanabara lança a Black Fraldas, e o consumidor vai poder comprar fraldas, lenços umedecidos, papinha e outros itens infantis 50% mais baratos.
Nos shoppings Nova América, Nova Iguaçu, Boulevard, Botafogo Praia e Madureira, por exemplo, as ofertas vão chegar a 90%. Por meio de interação de realidade virtual, os clientes vão poder ‘capturar’ itens, como a Air Fryer Philips Walita por R$ 89,90 e o Celular Moto E5 Play por R$200. Mas atenção: é preciso baixar no celular o aplicativo de cada shopping.
Para quem aguarda uma oportunidade para viajar e estudar, a 3RA Intercâmbio dará descontos de até 75% em cursos de línguas, programas e consultoria educacional e seguro saúde no Canadá. O Brasas oferece 50% em mensalidades para aluno novo, de 22 a 24 de novembro, até 12h.
Agora quem está na pilha de viajar terá desconto de até R$ 500 na operadora Juca Na Balada. Até o dia 23 de novembro serão mais de 20 opções de pacotes de viagens com descontos de R$100 a R$500. Entre as principais ofertas estão: pacotes para o Réveillon e Carnaval 2019 com destino a Arraial do Cabo, Rio de Janeiro, Capitólio, Praia do Rosa e São Luiz do Paraitinga, além de diversos destinos internacionais como Cancún (Spring Break), Ibiza, Las Vegas, Machu Picchu e até para Barcelona pra assistir a concorrida Final da Champions League 2019.
Em todos os pacotes estão inclusos hospedagem, transportes, traslados e passeios, e têm como diferencial o conceito Open Bar presente em toda a viagem.

Aplicativo lança a Cherry Friday

O aplicativo DogHero – que conecta pais e mães de cachorro a passeadores e anfitriões – entra na onda da Black Friday e dá desconto de R$ 100 para clientes que anteciparem reserva de hospedagem para as festas de fim de ano.
Além desse desconto, os clientes que participarem da Cherry Friday, nome alusivo à Cereja, que é mascote do aplicativo, também ganham de presente uma semana de passeios de 30 minutos para o cãozinho. O benefício é limitado a clientes que moram na área de cobertura do serviço de passeios. No Rio ele está disponível para os bairros da Zona Sul, Barra e Tijuca.
O cliente pode marcar até cinco passeios de 30 minutos para um cachorro, em dias consecutivos, até o dia 21 de dezembro. Após fazer a reserva da hospedagem, o time responsável entrará em contato por e-mail para fazer o agendamento.
Para participar basta baixar o aplicativo, disponível para Android e iOS, e inserir o cupom na tela de pagamento. As reservas devem incluir a véspera de Natal (24/12) e/ou do Ano Novo (31/12). Mas atenção: o desconto é limitado a um uso por cliente. O desconto é válido para reservas pagas até o dia 30 deste mês e caso cancele o serviço ele perde o cupom de desconto.

Jin Jin dá desconto no temaki

A Jin Jin, tradicional rede de franquias especializada em culinária asiática, também entrou no ritmo da Black Friday. O consumidores poderão aproveitar, além das ofertas oferecidas pelas lojas nos shopping, as promoções da praça de alimentação. Na Jin Jin, na compra de um temaki Jin Jin de Salmão, Salmão Grelhado, Califórnia ou Ceviche, o cliente leva outro de mesmo sabor de graça.
Todas as unidades da rede participam da promoção. São quatro sabores mais tradicionais da rede à disposição do consumidor e preparados com ingredientes selecionados e fresquinhos.

Atenção redobrada

A Black Friday é uma tradição nos Estados Unidos, no qual se realiza grandes promoções na sexta-feira seguinte ao feriado de Ação de Graças. Mas como no Brasil não se comemora a data, o varejo viu uma oportunidade para ganhar uma grana extra: o pagamento do 13º salário, que normalmente tem a metade adiantada em 20 de novembro.
No entanto, o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) alerta: cuidado para não cair em Black Fraudes e em enrascadas. “É importante controlar a ansiedade frente às ‘megaliquidações’ e preços aparentemente baixos e tomar alguns cuidados antes de sair comprando por aí”, adverte.
Os preços podem até parecer tentadores, mas é importante se planejar para não complicar o orçamento com a Black Friday. Logo depois da data, chega a hora de pagar o IPTU, o IPVA, a matrícula escolar, o plano de saúde. E dessas contas não dá pra se livrar.
“Para não gastar mais do que pode, a dica é fazer uma lista de produtos que precisa e que gostaria de comprar. Além disso, tente estabelecer um limite de gastos. Assim, saberá exatamente quanto da sua renda estará comprometida”, orienta o Idec.

PARA NÃO GASTAR MUITO – Apesar dos preços chamativos, é preciso resistir ao desejo de comprar demais. Especialista em varejo, Marco Quintarelli, em entrevista ao jornal O DIA, recomenda cautela, mesmo para quem pensa em aproveitar as promoções e garantir os presentes de Natal. “Custo benefício deve ser levado em conta em qualquer promoção. O consumidor realmente necessita desse produto? É preciso tomar cuidado, até mesmo com os parcelamentos”, orienta Quintarelli.

GOLPES NA INTERNET – O consumidor deve estar atento e driblar impostores para comprar golpes pela internet. A Federação Brasileira de Bancos alerta para sites, lojas online e e-mails falsos. Por esses meios, golpistas podem conseguir acesso a informações pessoais do consumidor, como CPF, número de cartões de crédito e dados bancários.

CONFIRA OS SITES – Para verificar a veracidade dos sites em que está comprando, é importante certificar se o endereço da página é o correto. Uma forma de fazer isso é digitar a URL no navegador ao invés de clicar no link. Quintarelli sugere que o consumidor dê preferência a lojas online que tenham sede física. Fazer uma pesquisa na área de Reclamação também ajuda a evitar possíveis problemas.

SALVAR DADOS – Na hora da compra online, imprimir ou salvar imagens da tela com os dados para ter provas é uma das orientações do Procon Carioca. Antes de finalizar, é ideal solicitar que o prazo de entrega seja registrado em nota fiscal, no pedido ou recibo.

RECLAMAÇÕES – Todo cuidado é pouco, e havendo problemas, reclamar é direito. Se o produto comprado na loja ou pela internet apresentar problemas, o consumidor tem 30 dias para reclamar, no caso de produtos não duráveis e, 90 dias, no caso de produtos duráveis.

DEVOLUÇÃO – O consumidor tem o prazo de sete dias, a partir do recebimento da mercadoria, para arrependimento. Ou seja, pode cancelar a compra e ter seu dinheiro devolvido. Não é necessário que o produto apresente defeito para gerar o direito de arrependimento e não é preciso justificar o motivo.

ATENDIMENTO – Caso não haja solução em até 30 dias, o consumidor pode exigir seu dinheiro de volta, a troca por outro produto equivalente ou pedir o abatimento proporcional do preço. É possível reclamar por meio do Facebook/Procon Carioca, www.rio.rj.gov.br/proconcarioca ou no telefone 1746.

 

Churrascarias brasileiras no maior evento de gastronomia do verão de NY

Churrascarias brasileiras no maior evento de gastronomia do verão de NY

Por Viviane Faver
Especial de NY

O Restaurante week, maior evento de gastronomia do verão de Nova York, recebe duas das mais famosas churrascarias brasileiras: a Plataforma e a Fogo de Chão, completando o cardápio do evento, que tem 380 participantes distribuídos em 42 pontos diferentes na cidade. O preço para participar, e saborear as delícias do festival gastronômico, está bem em conta. Os valores vão de US$ 29, que vale três almoços, a US$ 42, sendo três jantares com sobremesa. Não perca a oportunidade, o Restaurante Week acaba nesta sexta-feira. As reservas podem ser feitas pelo nycgo.com/restaurantweek.
Conhecida por sua pluralidade, a cidade de NY reproduz no evento a sua principal caracteríritca: ser capital do  undo. Segundo o vice-presidente da Global Communications NYC & Company, Chris Heywood, aproximadamente 61% dos restaurantes no evento oferecem comida estrangeira. “Visitantes e moradores locais se beneficiam da diversidade na famosa cena gastronômica de Nova York. E nesta 26ª edição do evento temos o prazer de ter duas respeitadas e deliciosas churrascarias brasileiras como parte da lista”, diz.
Heywood conta que os funcionários da NYC & Company são entusiastas da Plataforma Brazilian Steakhouse e da Fogo de Chão, graças as suas abundantes e deliciosas carnes. As duas churrascarias têm restaurantes fixos na cidade e mantém uma clientela dividida entre brasileiros moradores de Manhattan, americanos locais e turistas. Porém, declaram que participar do evento é um bom negócio para aumentar clientela e a visibilidade.
A churrascaria Plataforma, desde 1996 nos EUA, participa pela terceira vez do evento. Segundo Alberico Campana, um dos sócios da Plataforma, participar do evento gastronômico é oferecer comida e serviços de qualidade e atrair novos clientes. “Nossa meta sempre foi oferecer mais do que o cliente espera, como o rodízio. A diferença entre a Plataforma e os demais restaurantes da promoção é que a maioria serve um cardápio limitado usando ingredientes mais baratos para assim atingir um lucro maior. O que não é o nosso caso. Nossos cortes mais nobres como a picanha e a alcatra fazem parte do cardápio. E mantivemos os pratos quentes, o buffet de comida japonesa e o coquetel de camarão”, diz. Alberico avalia que 80% dos clientes que participam do evento voltam à churrascaria. “Essa sempre será nossa expectativa”, afirma e acrescenta: “Iremos participar novamente no inverno (janeiro de 2019)”.
Já a Fogo de Chão, que estreou seu restaurante nos EUA em dezembro de 2013, está com foco de expandir na América pelo menos 10% por ano. De acordo com gerente de Marketing da empresa nos EUA, Josh Wood, a Restaurant Week oferece uma oportunidade única para os clientes conhecerem  os restaurantes mais procurados. “Durante anos, o Fogo percebeu que esse evento é uma ótima maneira para atrair novos clientes, fazê-los conhecer a marca por um preço acessível”, avalia.

Gastronomia  ‘made in Brazil’ invade NY

Gastronomia ‘made in Brazil’ invade NY

Alberico, da churrascaria Plataforma, conta que é muito mais fácil e rápido abrir um negócio nos EUA se comparado ao Brasil

Por Viviane Faver
De Nova York

 A gastronomia brasileira, conhecida no exterior por deliciosas carnes, feijões e frutas tropicais, domina uma rua inteira no coração de Manhattan, a  46th street, também chamada de “Little Brazil”.  E o mercado está em franca expansão. Isso ocorre porque cada vez mais brasileiros buscam o exterior para abrir seus negócios.  Dados do consulado americano em São Paulo, apontam que o investimento brasileiro nos Estados Unidos aumentou 89% nos últimos cinco anos. E a tendência é que  continuem a crescer.
Nos últimos anos, o investimento dos criadores de negócios brasileiros cresceu especialmente por conta do quadro da crise econômica: eles perceberam que precisam diversificar seu mercado.
Mas só a crise não justifica a decisão de se mudar completamente – incluindo todo o processo de imigração do Brasil. Manuel Mendes, especialista em estratégia pela Universidade Harvard e executivo da consultoria Boston Innovation Gateway, cita diversos outros motivos para brasileiros apostarem na terra do Tio Sam.
“Do ponto de vista da empresa, temos o fato de os Estados Unidos ser um país claro e estável quanto à legislação de investidores e negócios. Também são um polo de atração de mentes brilhantes e de transferência tecnológica, o que é uma vantagem na hora de contratar”, explica Mendes.

Marcela, do mercado Búzios: todos os produtos são importados do Brasil ou comprados de empresas brasileiras em New Jersey

Little Brazil
Pioneira, a Churrascaria Plataforma, inaugurada em novembro de 1996, tem clientes brasileiros que moram e visitam a cidade, porém houve aumento de grupos empresariais americanos que fazem reserva para celebrar datas importantes.
O sócio da empresa, Alberico Campana Junior, conta que entre 2011 e 2013 a clientela de turistas brasileiros aumentou significantemente, porém depois os americanos passaram a ser predominantes.
Sobre abrir um negócio relacionado a comida em Nova York, Alberico revela que é muito mais fácil e rápido se comparado ao Brasil. “O sistema de tributação é fácil e enxuto em termos burocráticos. As regras e as entidades fiscalizadoras ajudam e educam antes de penalizar a empresa. Qualquer nova exigência é amplamente divulgada e demonstrada. E, em caso de falhas, sempre há espaço para corrigir o problema antes de uma penalidade ser aplicada”, declara.
Um pouco mais recente que a churrascaria Plataforma, o supermercado Búzios, reivindica o título de mercado brasileiro “mais autêntico” da região, essa loja traz todos os ingredientes necessários para cozinhar pratos brasileiros em casa. Palmito, batata palha e requeijão estão entre os principais produtos. Para os amantes de doces, eles trazem paçoca e bananada, entre  outros.
Segundo a proprietária do mercado, Marcela Ferreira, todos os produtos são importados do Brasil ou comprados de empresas brasileiras em New Jersey. A linguiça, por exemplo, é  produzida por brasileiros nos EUA.
Ela conta que a procura por pessoas de outros países também cresceu. “Estrangeiros, mas ligados ao Brasil de alguma forma, seja por se relacionar com algum brasileiro ou ter visitado nosso país, procuram nossos produtos”, conta.