Por Viviane Faver
Especial de NY

Rede de empoderamento feminino faz nova edição em Manhattan e mostra, de forma criativa, como empreender. O evento EmpowHer NY, criado há um ano atrás, pela bailarina brasileira integrante da companhia de dança, Dance Theater of Harlem, Ingrid Silva, foi realizada quinta-feira e reuniu empreendedoras, maioria brasileiras, que estão começando seu negócio em Nova York, nos Estados Unidos.
Com foco em criação de networking o EmpowHer NY em sua quinta edição contou com cinco mulheres negras bem sucedidas que abordaram a diversidade no mundo de negócios e contaram como enfrentaram o preconceito e criaram oportunidades.
“O nosso público tem dobrado a cada edição trazendo diferentes mulheres que podem ajudar uma as outras”, declara Ingrid, acrescentando que um dos principais suporte dado as jovens empreendedoras é oferecer o espaço para que elas possam expor seu negócio durante o evento.
Nesta edição, a brasileira Mayara Albuquerque trouxe suas joias feitas à mão para vender e fez um pingente inspirado no evento que representa o útero feminino. Sua marca, May, foi criada há cinco anos no Brasil, em Natal, onde tem uma loja. “Todas a joias são feitas à mão com prata, ouro e pedras naturais”, conta.

Em 2017 ela foi convidada para expor no salão Maria Bonita, no bairro do Queens, em Nova York, e ficou apaixonada pela cidade. Tomou a decisão de se mudar definitivamente há cinco meses atrás. Desde então já expôs em três diferentes espaços na cidade. Além de manter suas vendas para o Brasil pelas suas lojas online e física em Natal. “Qualquer joia que vendo em Nova York vale quatro vezes o valor no Brasil e me ajuda a continuar investindo no meu negócio”, diz.

Mayara conta que sua expectativa de montar uma loja online para atender publico em Nova York e no futuro uma loja física. Por enquanto ela segue expondo em eventos como EmpowHer e na loja de lingerie Only Hearts, em Manhattan.
Outra empreendedora brasileira que colabora com o evento é a carioca e produtora de eventos Elizabeth Christopher. Ela foi convidada por Ingrid para palestrar na primeira edição, falando sobre mulheres acima de 45 anos que decidem mudar de carreira e recomeçar do zero.

“Após palestrar fiquei tão envolvida com essa plataforma, que resolvi ajudar e virei a coordenadora dos eventos. E aproveitei para divulgar meu novo negócio que é a venda de comida de baixa calorias”, afirma.
Elizabeth trouxe algumas amostras de sua comida para o evento e o resultado foi positivo. “O resultado esta sendo ótimo, porque não só as pessoas me veem, como me conhecem e isso torna nossa relação mais pessoal. Elas acabam me indicando e meu negócio está fluindo”, conclui Elizabeth.